2022 All rights reserved - translateasy.com

Jorge Fernando-Desespero Lyrics(English Translate)

English Lyrics

Because heaven sulks with the earth and saddens Despair ... touch my fantasy The serpent's tongue and my sky does not dawn Tears the silk of my dream Take me in your arms in the moments of delirium Tear your owner's womb With the symphony in the bars of martyrdom Save me ... Love saves me Sensual star that my sky seduces Love saves me ... Come and save me Tropical look that gives light to my look Despair ... I bite my conscience In three Avé Marias where save the existence Despair ... I extend my cowardice On the linen sheets where your absence exists The wind blows And the thought persists in pursuing him in perfect folly Time scrolls And the heart accepts the laws of life, regardless of their destiny

Portuguese Letra da música

Porque o céu amua com a terra e entristece Desespero... roça a minha fantasia A língua da serpente e o meu céu não amanhece Rasga a seda do meu sonho Toma-me em teus braços nos instantes do delírio Rasga o ventre do teu dono Com a sinfonia nos compassos do martírio Salva-me... Amor salva-me Estrela sensual que o meu céu seduz Amor salva-me... Vem e salva-me Olhar tropical que ao meu olhar dá luz Desespero... mordo a minha consciência Em três Avé Marias onde salvo a existência Desespero... estendo a minha cobardia Nos lençóis de linho onde existe a tua ausência Sopra o vento E o pensamento teima em persegui-lo num perfeito desatino Rola o tempo E o coração aceita as leis da vida, indiferente ao seu destino

Desespero... o mar turva-se aos meus olhos
Porque o céu amua com a terra e entristece
Desespero... roça a minha fantasia
A língua da serpente e o meu céu não amanhece

Rasga a seda do meu sonho
Toma-me em teus braços nos instantes do delírio
Rasga o ventre do teu dono
Com a sinfonia nos compassos do martírio

Salva-me...
Amor salva-me
Estrela sensual que o meu céu seduz
Amor salva-me...
Vem e salva-me
Olhar tropical que ao meu olhar dá luz

Desespero... mordo a minha consciência
Em três Avé Marias onde salvo a existência
Desespero... estendo a minha cobardia
Nos lençóis de linho onde existe a tua ausência

Sopra o vento
E o pensamento teima em persegui-lo num perfeito desatino
Rola o tempo
E o coração aceita as leis da vida, indiferente ao seu destino